6/3/2021 - Janiópolis: já teve 35 mil habitantes



Janiópolis, está localizada a 47 quilômetros de Campo Mourão, município do qual foi distrito. Quem nasce ou mora lá é chamado de "janiopolitano". Pelo Censo de 2010 tinha 6.532, mas na estimativa de 2020 caiu para 5.095. Em 1975, o município chegou a ter cerca de 35 mil habitantes. Mas aí veio a geada negra e acabou com os cafezais e muita gente foi embora. No começo a comunidade era conhecida por Pinhalzinho. Em 1961, virou município e trocou de nome para Janiópolis, em homenagem ao então presidente Jânio Quadros.




A praça São Pedro, a principal de Janiópolis está localizada em frente a Igreja Matriz. O local tem WI-FI gratuito. A taxa de escolarização de crianças entre 6 e 14 anos é de 99 por cento. Em PIB per capita ocupa a posição 186 entre os 399 municípios paranaenses. A cidade não tem rede de esgoto.




No perímetro urbano Janiópolis tem cerca de 2 mil imóveis residenciais. Tem 180 empresas comerciais e de prestação de serviços e 21 cadastradas como do setor industrial. Conta com agência do Banco do Brasil e uma instituição financeira privada. Não possui emissora de rádio. Seguindo o exemplo de Campo Mourão, possui a Casa das Fraldas para a fabricação do produto para entidades e pessoas carentes. Entre as indústrias está a Colchões "Dorme Bem".




A festa do aniversário é comemoradada no dia 18 de novembro. Os festejos são marcados com shows nacionais e o prato típico do município: Leitoa Fuçada. Ocorre que tem ano em que a festa não é realizada ou os eventos são reduzidos dependendo da situação financeira do município.




O Ginásio de Esportes "Getúlio Ohara" é palco de competições esportivas e também outros eventos. Uma das principais competições realizadas na cidade é a Taça de Futsal.




A principal riqueza de Janiópolis vem da agricultura. São 21 mil e 500 hectares de soja. O milho é plantado em 15 mil ha. O trigo ocupa 1.000 ha. Tem ainda uma área com 600 hectares de mandioca e 55 de feijão. O rebanho bovino é de 18 mil cabeças. Tem uma unidade da Coamo Agroindustrial.




O patrimônio de Janiópolis começou a ser formado pouco depois da emancipação de Campo Mourão em 1947. O local era mata virgem. No começo dos anos 60 o crescimento foi maior devido o auge do café. Em outubro de 1961 foi sancionada a lei de emancipação de Campo Mourão e o município foi instalado em novembro de 1962, tendo Oscar de Paula Pereira o primeiro prefeito.




A Paróquia Nossa Senhora Aparecida pertence a Diocese de Campo Mourão e foi fundada em outubro de 1964.





Ouro Verde do Oeste: destaques no rodeio e energia alternativa



Ouro Verde do Oeste é um município novo. O primeiro prefeito foi eleito em 1992 e assumiu em janeiro de 1993. A cidade está localizada a 211 quilômetros de Campo Mourão passando por Goioerê e Toledo e a 235 Km se a viagem for feita via Ubiratã e Cascavel. Quem nasce ou mora lá é denominado de "ouro-verdense". Tem 5.682 habitates (1.653 na área rural). A taxa de escolarização de crianças entre 6 e 14 anos é de 99 por cento. EM PIB ocupa a posição 184 entre os 399 municípios do Paraná. A rede de esgoto atinge 26 por cento dos imóveis urbanos. O nome faz referência ao café, grande riqueza na época em que a comunidade começou a ser formada.




A praça "Walter Bonthen" de Ouro Verde do Oeste tem 200 metros de comprimento e está localizada na Avenida Brasil a principal da cidade. Ao centro fica a Igreja Matriz. Tirando uma das laterais que serve estacionamento da igreja o local é bem arborizado. E precisa mesmo. No dia em que visitamos a cidade a temperatura passou dos 42 graus e ao final da tarde, com o Sol já se pondo o termômetro digital marcava 39 graus. A maior parte das ruas e avenidas tem nomes de capitais brasileiras e países. A Brasil, mais importante, é prolongamento da PR-317, que liga Toledo até as cidades de São José das Palmeiras e Santa Helena.




O moderno Centro Cultural de Ouro de Verde do Oeste está localizado em uma rotatória na avenida principal. Aliás, na cidade só tem essa rotatória. Na verdade, a rotatória é em forma de losango com "pontas arredondadas". Na imagem da fachada (acima), o Centro Cultural parece ser menor do que é, mas a área coberta é de quase 1.200 metros quadrados, incluido anfiteatro e outras instalações que só podem ser vistas conforme você vai contornando a rotatória. O município promove a mais de 20 anos o Festival da Canção. Em 2018 foi lançado um livro intitulado "Memórias de Ouro Verde do Oeste", reunindo entrevistas com parentes ou pioneiros que desbravaram o local entre 1959 a 1965. No esporte a cidade se destaca no Kung Fu e Futsal.







Na área urbana, Ouro Verde do Oeste tem cerca de 1.900 imóveis residenciais e 132 empresas comerciais e de prestaçao de serviços. Na área industrial estão cadastradas 26 empresas. Possui uma agência bancária privada. Não tem emissora de rádio. Entre as indústrias estão um frigorifico de peixe e a Algomix, que produz rações e insumos para pets e aminais de grande porte. Recentemente entrou em operação no município a 1ª usina híbrida de biogás e energia fotovoltaica em grande escala do país. A usina é privada oferecendo energia para empresas de várias cidades do Oeste do Paraná. Durante o dia a energia elétrica é gerada por placas solares enquanto o biogás é armazenado para os períodos sem Sol. A cidade possuiu um estruturado parque de exposições com arena de rodeio circular com arquibancada e tem coleta de lixo reciclável.




A prefeitura de Ouro Verde do Oeste fica fora do centro da cidade. O aniversário é comemorado no dia 12 de junho. Em maio é servido o almoço "Tilápia no Tacho. O município promove eventos de Natal e Virada do Ano. Os festejos acontem na praça principal. Outro evento muito esperado é a Festa do Peão de Boiadeiro que já tem mais de 30 anos e é reconhecida como uma das melhores do Paraná. Na agricultura destaque para a soja com 12.500 hectares. Milho 8.350 ha, trigo 850 ha. Rebanho bovino é estimado em 19 mil cabeças. É grande a produção de frangos e suínos. Conta com unidade da Coamo Agroindustrial Cooperativa.




Quando visitamos a cidade, a Paróquia Nossa Senhora Aparecida estava em reformas. Foi fundada em abril de 1975 e pertence a Diocese de Toledo. As primeiras famílias chegaram a Ouro Verde do Oeste a partir de 1959 atraídas pelo baixo preço das terras. Passou a distrito de Toledo em 1968 e conseguiu a emancipação em 1989, elegendo o primeiro prefeito em novembro de 1992.


Miraselva: cidade que caçou e prendeu um "lobisomem"



No começo dos anos 50, quando surgiu a idéia de criar uma vila, no norte do Paraná, perto de Londrina, um colonizador espanhol viu a grande área de floresta e teria dito várias vezes a frase "mira la selva", ou seja, "olha a selva". Mais tarde a pequena vila foi denominada de Miraselva.




O prédio da prefeitura de Miraselva é bem simples. A cidade está localizada a 188 quilômetros de Campo Mourão e a 35 quilômetros da divisa com o Estado de São Paulo. O município de Miraselva tem 1.862 habitantes dos quais 1.430 residem no perímetro urbano. Figura entre os 5 menores municípios do Paraná.




A exemplo da prefeitura, as instalações da Câmara dos Vereadores de Miraselva também são simples. Quando o assunto é educação básica o município vai bem. A taxa de escolarização de crianças entre 6 a 14 anos é de 99,6 por cento. Em PIB per capita ocupa a posição 324 entre os 399 do Paraná. Apenas 12 por cento da cidade é servida pelo sistema de coleta de esgoto. Quem nasce ou mora na localidade é denominado de "miraselvano" mas alguns documentos colocam como sendo "miraselvense".




Como dissemos anteriormente os prédios do Paço Municipal e da Câmara são pequenos e simples, mas visitando a cidade (novembro 2021), encontramos as obras que vão abrigar lado a lado os poderes Executivo e Legislativo. Ao conversar com alguns moradores, o fato mais marcante para eles foi um acidente de trânsito ocorrido em agosto de 2018, em que morreu o vereador Paulo Gregori que estava com 33 anos e exercia o primeiro mandato. Ele era muito popular e tinha o apelido de "vagalume". Na rodovia para Centenário do Sul, o carro em que ele viajava como passageiro, saiu da pista, colidiu em uma árvore e capotou. Outro momento relatado por eles foi a eleição de 2016 que só teve um candido a prefeito.




Sobre a estrutura da cidade, Miraselva tem hospital municipal. A rodoviária está bem cuidada e em funcionamento. Não conta com agências da Caixa ou Banco do Brasil. Grande parte dos serviços da Caixa são prestados pela lotérica que tem um nome bem bolado: "Mirasorte". Na área urbana são menos de 750 imóveis residenciais. Tem menos de 60 empresas comerciais e de prestação de serviços e 7 pequenas indústrias. Não existe emissora de rádio local.




A praça principal não é a da Igreja Matriz. Está localizada a 250 metros da sede da paróquia. O nome da principal avenida é "Dona Madalena", que é o trecho da única rodovia que dá acesso a cidade. Quem nasceu em Miraselva é a modelo "plus size" Luciléia da Silva. Em 2020, com 27 anos, ganhou o concurso Linda Miss Plus Size Paraná. O aniversário de Miraselva é comemorado no dia 11 de junho. O município não tem muitas atividades festivas.




A Casa da Cultura de Miraselva tem o formato de círculo. O local além de abrigar eventos culturais também é utilizado para algumas sessões especiais da Câmara dos Vereadores e recepção de autoridades como governador e secretários de estado. Na cidade corre a história de um Lobisomem. A muitos anos, no período da noite, um ser totalmente peludo corria atrás das pessoas. A situação chegou a tal ponto que polícia e grupos de moradores saiam para "caçar" o bicho. Descobriram que era um borracheiro que se vestia de macaco para assustar principalmente as mulheres.




A principal lavoura no município de Miraselva é a cana de açúcar com área de 1.578 hectares. A soja ocupa 470 ha, milho 250. O rebanho bovino é estimado em 6 mil cabeças. Grande mesmo é a produção de frangos.




A Paróquia São José Bento Colotengo pertence a Arquidiocese de Londrina. A cidade de Miraselva começou a surgir por volta de 1950, quando o corretor de imóveis Izac Junqueira fez a demarcação de lotes e passou a vender. Os pioneiros vieram atraídos pelo plantio de café e pela madeira. Virou distrito em 1958 e foi desmembrado de Florestópolis em 1960. O primeiro prefeito foi nomeado em novembro de 1961.


Imbaú: um dos municípios mais novos do Paraná



Imbaú é uma cidade localizada na região de Telêmaco Borba (Campos Gerais) a 287 quilômetros de Campo Mourão. No censo do IBGE de 2010, tinha 11 mil 274 moradores (4.214 na área rural) e na estimativa realizada em 2020 passou para 13 mil 282 habitantes. Imbaú na língua indígena significa "beber da bica". Antigamente os viajantes paravam no local para beber água em uma bica dágua. Quem nasce ou mora em Imbaú e denominado de "Imbauense".




A cidade de Imbaú é cortada por duas importantes rodovias e nem uma delas desvia do perímetro urbano. A principal (foto acima) é a BR 376 (pedagiada) que liga o norte do Paraná à Curitiba passando por Ponta Grossa. Trata-se da famosa Rodovia do Café. Depois tem a PR 239 conhecida como "Rodovia do Papel" que liga Imbaú a Telêmaco Borba, e a terceira faz ligação com o município de Reserva (até Reserva não é asfaltada) que é caminho para Manoel Ribas, Pitanga e Campo Mourão. Para chegar a Reserva por asfalto é preciso percorrer 21 quilômetros até a comunidade de Caetano Mendes.

Como todas as rodovias passam no perímetro urbano a cidade fica dividida e para acessar o centro ou bairros é preciso a todo momento ficar cruzando essas pistas, em alguns pontos tem viadutos.

Na BR 376 estão localizadas as principais empresas como a Frisia (antiga Batavo), uma unidade para recebimento e armazenamento de grãos. A Frisia, Castrolanda e Capal formaram uma holding que produz laticínios, leite "Colaso", a carne "Alegra" e bebidas especiais como a "Naturalle.

É importante citar que o nome Batavo passou cerca de 70 anos com a administração da cooperativa de Carambeí. A Cooperativa Agrícola Batavo se desfez do nome em 1998, por cerca de 150 milhões de reais após receber uma oferta da Parmalat, que mais tarde entrou em recuperação judicial e virou Perdigão e em 2009, com a união com a Sadia passou a se chamar BRF. Em 2014 a BRF vendeu a parte de laticínios para o grupo francês Lactalis que utiliza o nome "Batavo" em alguns produtos.




Imbaú é uma cidade que tem bastante quebra-molas (lombadas). Por não ter sido planejada, quem é de fora estranha o emaranhado de ruas e avenidas que dificilmente tem mais de 100 metros em linha reta (sem falar nas duas rodovias muito movimentadas que cortam o perìmetro urbano). Em Imbaú, a taxa de escolarização de crianças de 6 a 14 anos é de 97 por cento. EM PIB per capita ocupa a posição 377 entre os 399 municípios do Paraná. Apenas 13 por cento da cidade tem rede de esgoto.




Chamou a nossa atenção o formato da caixa dagua da Sanepar de Imbaú. De perto nem tanto, mas ao longe parece aquelas estruturas do desenho animado os "Jetsons" que foi ao ar nos 60 e 70 e que retratava uma família que vivia no futuro. Outra curiosidade de Imbaú é que alguns eventos principalmente shows são realizados no pátio da rodoviária. Um evento muito esperado no município é a comemoração do Dia das Crianças. A festa é regada com bolos, presentes, apresentações artísticas, e diversos formatos de brinquedos. Em dezembro na praça tem comemoração natalina. No esporte são várias competições principalmente de futsal e futebol suiço envolvendo ambos os sexos.




Na área urbana, Imbaú tem cerca de 3.700 imóveis residenciais. Duzentas empresas estão cadastradas como comerciais e de prestação de serviços e 30 indústrias. Não tem agências da Caixa ou Banco do Brasil, possui apenas uma instituição privada. Não tem emissora de rádio. A principal riqueza é indústria madereira. Cerca de 70 por cento do município é ocupado por árvores para suprir a produção de madeira das indústrias da região. Destaque também para as empresas de cerâmica. Na agricultura a soja é plantada em apenas 3.280 hectares. Trigo 700 ha, milho 650 ha e feijão 350 hectares. O rebanho bovino é estimado em 3.700 cabeças. O município tem o Parque Estadual Floresta do Saltinho, uma Reserva Florestal que é composta de capoeira remanescente da floresta com araucária. Bom lembrar da Área de Proteção Ambiental da Escarpa Devoniana e a Reserva Particular do Patrimônio Natural Fazenda Monte Alegre.




Nos anos 70 tinha mais gente morando na área rural do que na sede do município. Foi no final dos anos 80 e começo dos anos 90 que a população da cidade passou a ter mais. O aniversário é comemorado no dia 8 de dezembro, mas a principal festa é a do padroeiro São José. Outos eventos religiosos são: Festa do Divino, Festa da Santinha, Festa da Imaculada Conceição e ainda a Festa do Colono.




O prato típico de Imbaú é o "Mingau de Milho Verde com Frango Caipira". Lá também é tradição o "pastel gigante" e pode ser encontrado em alguns estabelecimentos às margens da BR-376 (rodovia do Café). Vale citar que a rodovia foi inaugurada em 25 de julho de 1965 (e vários trechos estão duplicados). Na inauguração foi realizada uma prova automobilística entre Curitiba e Apucarana. Os primeiros moradores foram formando pequenas vilas em frente a 376 e também na rodovia do Papel. Ivo Jangada foi um dos pioneiros e é homenageado com o nome da avenida principal.




A primeira capela São José foi inaugurada em 1970 em frente a Rodovia do Papel, saída para Telêmaco Borba. Reformada se transformou na igreja matriz e permanece no mesmo local. Para chegar à igreja a maior parte da população precisa cruzar a rodovia pelo viaduto ou percorrer 300 metros em outra direção, uma vez que a pista é rebaixada em relação as duas partes da cidade. Não tem passarela, e para encurtar a caminhada vi pessoas atravessando a rodovia e depois fazendo malabarismo para subir ou descer pelo barranco. Na imagem acima é possível observar pequenos carreadores formados pela passagem dos pedestres. Até 1996 Imbaú foi distrito de Telêmaco Borba. O primeiro prefeito assumiu em janeiro de 1997.


-

Bela vista da Caroba
Pome
Integrado

[ voltar ]