BALANÇO - 298 cidades visitadas e 282 publicadas. 62 revisitadas e atualizadas. 6 para atualizar. Percorridos 69 mil quilômetros de rodovias asfaltadas, 167 km em estradas de terra. Dezoito quilômetros em balsa.

----------




Cidade repleta de esculturas..



Assim que entramos na cidade de Bom Sucesso do Sul, ficamos surpresos pela quantidade de esculturas, praças e por uma área urbana muito bem cuidada. E veio a pergunta: como um município tão pequeno consegue ter uma cidade tão bonita e ficar entre os 20 do Paraná em PIB per capita? E não foi só. Sessenta por cento das casas estão ligadas à rede coletora de esgoto. Veja aqui o nosso especial sobre Bom Sucesso do Sul.





Essa feira tem tudo??



A feira livre de Arapongas é considerada uma das maiores do Paraná, tanto em participantes quanto em variedade. Na feira é possível fazer "rolo", trocar um objeto pelo outro. Tem negociação. No espaço também muita coisa usada com preços baixos. Colecionadores podem inclusive encontrar aparelhos de rádio antigos. As barracas são instaladas na quadra ao redor do Ginásio de Esportes, centro da cidade. Os feirantes ocupam os dois lados das ruas, o que em linha reta ocuparia cerca de 800 metros. É realizada aos domingos pela manhã. Veja aqui o nosso especial completo sobre Arapongas e a feira.





A capital do oxigênio



Céu Azul é chamada de "Capital do Oxigênio". Isso pelo fato do município contar com reservas florestais em 73 por cento do seu território. A menos de 200 metros do centro da cidade está grande parte da reserva florestal do Parque Nacional do Iguaçu. Veja aqui o nosso especial completo sobre Céu Azul.





A cidade mais alta do Paraná



Inácio Martins é considerada a cidade mais alta do Paraná. Está localizada a 1.202 metros acima do nível do mar. Outras fontes informam 1.198. Por isso, durante o inverno é normal temperaturas abaixo de zero. Lá também é comum que lagos fiquem congelados Veja aqui o nosso especial completo sobre Inácio Martins.


Dedicação total às flores



Maripá, é considerada a capital paranaense das orquídeas e alguns dos habitantes vivem em função disso. Uma das maiores cultivadoras de plantas exóticas é Lilian Szimanski, casada, proprietária do Orquidário Raio de Sol, localizado na área rural. Com os pais de origem alemã, Szimanski, chegou ao Paraná quando tinha apenas 6 anos. Eles moravam em Arroio do Meio no Rio Grande do Sul. Ao longo dos anos ela foi ampliando a variedade de plantas Veja aqui o nosso especial completo sobre Maripá.





Paula Freitas não é mulher !!



Muita gente acha que que o nome da cidade de Paula Freitas, perto da divisa com Santa Catarina, é homenagem a uma mulher. Na verdade "Paula Freitas", é uma homenagem ao engenheiro civil Antonio Paula Freitas, especialista em estrada de ferro. Veja aqui o nosso especial completo sobre Paula Freitas.


Museu de cera particular...



Rolândia tem Museu de Cera particular. A iniciativa é um hobby do empresário Arlindo Armacollo.O Museu está localizado na Avenida Romário Martins, área central, e pode ser visitado as quartas, quintas, sextas e domingos das 14 às 18 horas.Não paga nada. Outro museu em Rolândia lembra a imigração japonesa. Veja aqui o nosso especial completo sobre Rolândia.





Velho fórum ainda de pé...



O município de Rebouças "preserva" o antigo prédio do Fórum. O espaço histórico está com a cobertura e paredes danificadas. A comarca foi criada em 1937, mas em alguns anos perdeu essa condição. A comarca foi restabelecida em 1948 Veja aqui o nosso especial completo sobre Rebouças.


Sob a proteção do boné..



Desde 2010, Apucarana é considerada a Capital Nacional do Boné. O título foi conquistado graças a um projeto de Lei do deputado Alex Canziani. A fabricação de bonés e confecções teve impulso principalmente a partir de 1975 com a geada negra que acabou com os cafezais da região. Atualmente o setor de confecções no município gera cerca de 20 mil empregos. A produção de bonés em Apucarana já foi tema de reportagens de televisão de vários países. Veja aqui o nosso especial completo sobre Apucarana.


Abastece 3 milhões de casas..



A Usina Hidrelétrica de Salto Osório começou a ser construída nos anos 70. A primeira unidade entrou em operação em 1975. A sexta unidade começou a funcionar em 1981. A barragem tem 56 metros de altura e 750 metros de comprimento. Sobre a barragem passa a rodovia que liga as cidades de São Jorge d´Oeste com Quedas do Iguaçu Veja aqui o nosso especial completo sobre São Jorge D´Oeste.


Local de uma tragédia..



Em 1943, a explosão de um trem que transportava combustível, provocou a morte de 23 pessoas. O terminal da cidade de Paulo Frontin foi destruído. O impacto formou um buraco de 15 metros de largura e 10 de profundidade. Veja aqui o nosso especial completo sobre Paulo Frontin.


Aqui, o Rio Piquirí tem só 20 metros



Em Campina do Simão, o Rio Piquirí, tem só 20 metros de largura. Bem diferente da ponte da BR-369 perto de Ubiratã onde são 160 metros. Na ponte entre Assis Chateubriand e Brasilândia do Sul são 190 metros. No município de Palotina tem até 500 metros de largura. Veja aqui o nosso especial completo sobre Campina do Simão.


A cidade que surgiu por causa de um sonho..



A cidade de Iretama surgiu depois do sonho de um cafeicultor que morava em São Paulo. No sonho, ele visualizou uma pequena cidade surgindo no meio da mata. Acordou animado. Veio ao Paraná e comprou as terras. Veja aqui o nosso especial completo sobre Iretama


Opalão enterrado !!....



Cambé tem coisas curiosas como a de um carro parcialmente "enterrado" no canteiro central em uma das principais entradas da cidade. Perguntamos a alguns moradores o que aquilo significava. O "enfeite" é para chamar a atenção de um posto de combustíveis chamado "Opala" que está nas imediações Veja aqui o nosso especial completo sobre Cambé


Aqui tem petróleo ??!!....



Em 2012, foi cogitada a possibilidade de petróleo em Itapejara d´Oeste. A existência foi constatada pela Mineropar em um sítio com 10 hectares, mas até hoje (2021), a Agência Nacional do Petróleo não demonstrou mais interesse . Veja aqui o nosso especial completo sobre Itapejara d´Oeste.


Faixa de pedestre em 3D....



Uma curiosidade em Jandaia do Sul é a faixa de pedestre em 3D. A pintura é feita de tal forma que parecem blocos. A novidade fica em frente ao Colégio Estadual, na área central, bem perto da Igreja Matriz. O objetivo é chamar a atenção dos pedestres para a importância de cruzar as ruas e avenidas pela faixa. Veja aqui o nosso especial completo sobre Jandaia do Sul.


Ruas com nomes de letras..



Em Boa Esperança do Iguaçu, as principais ruas têm nomes de letras. A praça e a prefeitura por exemplo ficam na "RUA J". Veja aqui o nosso especial completo sobre Boa Esperança do Iguaçu.


Imagens sacras pela cidade



Uma das características de Doutor Camargo é a presença de imagens religiosas pelas ruas e avenidas da cidade. A Paróquia São Pedro pertence a Arquidiocese de Maringá. Veja aqui o nosso especial completo sobre Doutor Camargo.


A cidade da grande indústria Araupel



A principal empresa de Quedas do Iguaçu, e também uma das mais importantes do Paraná, é a Araupel. A Araupel está localizada na área rural e exporta produtos para vários países. A principal atividade é agregar valor à madeira, fabricando forros, lambris, paredes, guarnições, rodapés, portas entre outros. Também produz madeira serrada e toras. A empresa é de constituição familiar e de capital 100 por cento brasileiro. Veja aqui nosso especial sobre Quedas do Iguaçu.


Morando às margens do Rio Ivaí



Tendo o Rio Ivaí, bem pertinho, Ivatuba tem vários condomínios em formato de chácaras. Famílias moram alí, às margens do rio, ou construiram moradias para lazer. São casas de alto e médio padrão. Ivatuba também conta com uma Universidade Adventista. Veja aqui nosso especial sobre Ivatuba.


A cidade onde galo bota ovo!!



Não é invenção. Em Enéas Marques tem um galo que bota ovos. Contaram que o galo é de um agricultor da comunidade Vista Alegre. Uma veterinária de Dois Vizinhos, explicou que apesar de raro, a ave possuiu dois sistemas reprodutivos. Veja aqui nosso especial sobre Enéas Marques.


Apaixonado pelo Inter...



Em Verê encontramos um torcedor "fanático" pelo Internacional de Porto Alegre. Para demonstrar o amor pelo time, nada melhor que pintar o próprio local onde mora, incluindo os símbolos da equipe. Preste atenção na imagem e observe que até o cachorro de estimação é "colorado". Veja aqui nosso especial sobre Verê.


Canteiro com 30 metros de largura



A mais movimentada avenida de Nova Santa Bárbara é a Intervetor Manoel Ribas. Tem 800 metros de comprimento, e ao longo de 600 metros existe um grande canteiro central em formato de jardim com 30 metros de largura. É mais largo que o da Avenida Brasil em Cascavel, considerado um dos maiores do Paraná. Veja aqui nosso especial sobre Nova Santa Bárbara.


Onde mais se produz mel no PR



O letreiro de Ortigueira deixa bem claro: "aqui tem mel". Aliás, município é o maior produtor de mel do Paraná e está entre os cinco maiores produtores do Brasil. Ortigueira também é sede do Projeto Puma da Klabin, um dos maiores complexos industriais do Brasil. Veja aqui nosso especial sobre Ortigueira.


Placas no formato de cachos



Ao percorrer as ruas e avenidas de Catanduvas a gente já percebe que o município "tem tudo a ver com a uva". É que as placas com a nominação das vias públicas é no formato de cachos de uvas. O município tem muitos produtores de vinho, e no mês de julho acontece a tradicional Festa do Vinho. Veja aqui nosso especial sobre Catanduvas.


Ruas e avenidas não têm nomes de pessoas



Em Espigão Alto do Iguaçu, as ruas e avenidas não têm nomes de pessoas. Quando não é cidade, as vias públicas são denominadas com nomes de estados ou países.. Veja aqui nosso especial sobre Espigão Alto do Iguaçu.


Cidade do Paraná com praças internacionais



Na cidade de Ivaiporã as praças lembram países. A que mais faz sucesso é a Praça França. E faz sentido. Tem uma réplica da Torre Eiffel. Representa 10 por cento da torre original em Paris. Equivale a um prédio de 11 andares. É possível subir por 160 degraus e avistar quase toda a cidade. Veja aqui nosso especial sobre Ivaiporã.


Prefeitura de Godoy Moreira está situada na Rua Campo Mourão



As principais ruas e avenidas de Godoy Moreira têm nomes de cidades do Paraná. Uma delas é a Rua Campo Mourão, onde está situada a Prefeitura. Pelo Censo de 2010, o município tem 3.337 habitantes, mas pela estimativa de 2020 caiu para 2.898, ocupando a posição 364 entre os 399 do Paraná. Veja aqui nosso especial sobre Godoy Moreira.


Nessa cidade se decidia o que fazer em Londrina...!!



São Jerônimo da Serra foi distrito duas vezes. O fato irritou as lideranças locais, pois não era possível aceitar que após muita luta pela emancipação, o local fosse "rebaixado". Ainda mais quando se leva em conta que é uma das comunidades mais antigas do Paraná e até decidia por Londrina que estava começando. Veja aqui nosso especial sobre São Jerônimo da Serra.



Prado ou Ferreira...?



Prado Ferreira, cidade da região de Londrina, não é o nome de uma pessoa. É uma união das vilas Prado e Ferreira. Os dois núcleos deram origem a cidade. Teve "briga" para definir qual dos núcleos ficaria com o nome do município. Para evitar a polêmica juntaram os dois. Veja aqui nosso especial sobre Prado Ferreira.


Você escolhe..Quer passar pelo rio ou por cima de uma barragem??



São poucas as cidades em que você pode chegar só por asfalto passando por cima da barragem de uma das maiores hidrelétricas do Brasil, ou então cruzando um dos rios mais importantes do País. Cruzeiro do Iguaçu é uma delas. Veja aqui nosso especial sobre Cruzeiro do Iguaçu.


Coreto acima do nível da praça..



O coreto na praça da matriz de Sapopema está em um nível bem mais elevado em relação ao calçamento. Isso facilita a visualização das apresentações. Veja aqui nosso especial sobre Sapopema.





"Velha" estação de trem..



A antiga Estação Ferroviária de Londrina é hoje o Museu Histórico do município. O nome é em homenagem ao padre Carlos Weiss. O prédio foi construído entre os anos de 1946 a 1949 e funcionou como estação até 1982. No local tem uma locomotiva da "Baldwin". Veja aqui nosso especial sobre Londrina, a quarta maior cidade do Sul do Brasil.


Universidade com zoológico !!



A Unisep (universidade privada de Dois Vizinhos) é tão grande que possui um zoológico com 363 mil metros quadrados. São quase 400 animais de 96 espécies. Entre eles estão: tigres de bengala, leões, jacarés, pumas, macacos, aves e cobras. O zoológico é aberto ao público mediante o pagamento de ingresso. Clique aqui e veja o especial completo sobre Dois Vizinhos.


Para pescar e descansar...



A cidade de Entre Rios do Oeste tem parque com espaço para camping, restaurante, quadras esportivas e o lago formado pela represa de Itaipú. Outro espaço é a Base Náutica a 8 quilômetros do centro com atracadouro, garagem náutica, camping e estacionamento. Clique aqui e veja o especial completo sobre Entre Rios do Oeste.


Tem Guarda Mirim !!



Curiúva é uma das poucas cidades brasileiras que ainda tem Guarda Mirim, mas o sistema é diferente do modelo que existiu nos anos 70 e 80. Clique aqui e veja o especial completo sobre Curiúva.


Blocos feitos à mão..



A Igreja Matriz de Alvorada do Sul foi construída nos anos 50. Os blocos de cimento foram feitos um a um de forma manual. Clique aqui e veja o especial completo sobre Alvorada do Sul.


Misturou nome de Santa com ave..



Santa Cecília do Pavão era conhecida como Água do Pavão. Mais gente foi chegando, e o patrimônio ganhou o nome de "Pavão". Em 1947 era erguida a primeira capela. No altar foi colocada a imagem de Santa Cecília e por isso ficou "Santa Cecília do Pavão". Clique aqui e veja mais fotos e curiosidades de Santa Cecília do Pavão.


A homenagem vai para o frango!!



O portal da cidade de Nova Itacolomi faz homenagens ao frango e a banana. O município tem quase 500 hectares de bananeiras. A produção de frangos supera de 1 milhão e meio de aves por ano. A produção é destinada aos frigoríficos da região. Clique aqui e veja mais fotos e curiosidades de Novo Itacolomi


É na confiança !!. Pegue sua uva..



O município de Rosário do Ivaí é rico em belezas naturais e considerado a Capital da Uva Niágara. E se ao trafegar pela rodovia você sentir vontade de tomar um vinho, suco ou saborear a uva, não tem problema. Alguns agricultores colocam seus produtos em barracas. Ninguém vai atender. Você escolhe o que quer, verifica o preço e deixa o dinheiro em uma caixinha. É bom estar com dinheiro trocado, ou então não fazer questão do troco. Clique aqui e veja mais fotos e curiosidades de Rosário do Ivaí


Aqui prenderam um "lobisomem"..



Em Miraselva na região de Londrina, um ser totalmente peludo corria atrás das pessoas. A situação chegou a tal ponto que polícia e grupos de moradores saiam para "caçar" o bicho. Descobriram que era um borracheiro que durante à noite se vestia de macaco e saia para assustar principalmente as mulheres. Clique aqui e veja mais fotos e curiosidades do município de Miraselva.


Lembra o desenho dos "Jetsons"



A Caixa Dágua da Sanepar na cidade de Imbaú é parecida com aquelas estruturas do desenho animado os "Jetsons" que foi ao ar nos 60 e 70 e que retratava uma família que vivia no futuro. Outra curiosidade de Imbaú é que alguns eventos principalmente shows são realizados no pátio da rodoviária. Clique aqui e veja mais fotos e curiosidades do município de Imbaú.


Uma praça inteira para esportes



Em Santa Helena, Oeste do Paraná, uma praça inteira, na área central é destinada a prática de esportes. São várias quadras esportivas de futsal, volei e basquete, à disposição da população com reserva antecipada. Ainda tem arquibancada, um espaço para jogos de mesa como tênis, parquinho para crianças até 12 anos, pista de caminhada. Tudo isso funciona inclusive no período noturno. Santa Helena também tem uma das maiores áreas turísticas do Paraná. Clique aqui e veja mais fotos e curiosidades do município de Santa Helena.


Parece um vulcão !!



Rio Branco do Ivaí tem uma paisagem dominada por morros ou colinas. Ao chegar à Rio Branco do Ivaí, o destaque é uma colina ao fundo (foto na reportagem completa). O trecho da rodovia que dá acesso à cidade é inclusive chamado de Avenida Monte Alegre. Clique aqui e veja mais fotos e curiosidades do município de Rio Branco do Ivaí.


Emancipado duas vezes !!



A emancipação de Rio Bom foi meio complicada. Em 1948, passou a ser distrito de Apucarana e logo depois em 1951, foi criado o município. O problema é que em 1952, o então distrito de Marilândia do Sul também foi emancipado de Apucarana, e Rio Bom voltou a ser distrito, agora desse novo município, bem próximo e com população maior. A polêmica foi geral, e em 1964, Rio Bom novamente é emancipado. Clique aqui e veja mais fotos e curiosidades do município de Rio Bom.


Aqui surgiu a Pastoral da Criança



Em 1983, a médica sanitarista Zilda Arns, fundou em Florestópolis a Primeira Pastoral da Criança. Naquele ano, o município registrava 127 mortes para cada 1.000 nascidos, o maior índice de mortalidade infantil do Paraná. Já em 1984, o índice havia caido para 23 por 1.000. A notícia se espalhou e entidades do mesmo gênero foram criadas pelo Brasil e outros países. Clique aqui e veja mais fotos e curiosidades do município de Florestópolis.


Aqui nasceu Leandro Damião..



Jardim Alegre é a cidade Natal do do jogador Leandro Damião. Ele atuou pelo Internacional, Santos, Flamengo, Cruzeiro, Seleção Brasileira e equipes internacionais como o Betis da Espanha. Clique aqui e veja mais fotos e curiosidades do município de Jardim Alegre.


O artista é paranaense !!



A obra no centro da cidade de Borrazópolis é do artista plástico Roverson Tales Tureck, que nasceu e mora na cidade e tem a empresa "Tureck Artes". O monumento levou um ano e meio para ficar pronto. Roverson tem outras obras em cimento pela cidade e também por outros municípios do Paraná e do Brasil. O memorial da foto acima, tem 5 faces. Cada lado representa um período agrícola da história do município. Clique aqui e veja mais fotos e curiosidades do município de Borrazópolis.


Uma casa polonesa no meio da praça



A casa no centro da cidade de Virmond não tem nada de antiga, é uma réplica inaugurada em 2008. O objetivo foi resgatar a história das primeiras famílias oriundas da polônia, e que fundaram no local a comunidade "Amola Faca", que hoje é Virmond. Aliás, outra curiosidade é que nome do município não tem nada de Polonês. Clique aqui e veja mais fotos e curiosidades do município de Virmond.


A 1ª Assembleia de Deus no PR



Em Cruzmaltina foi construído o primeiro templo da Igreja Assembleia de Deus no Paraná. Está localizado na comunidade rural denominada de João Vieira. Na época a localidade era conhecida como São Sebastião e pertencia ao município de Faxinal. A inauguração aconteceu no dia 15 de setembro de 1929. Os pioneiros foram até São Paulo para conhecer a igreja e retornaram com a missão de iniciar o movimento pentecostal. No início a igreja era de madeira e anos mais tarde foi reformada em alvenaria.

Um pioneiro da comunidade, neto de João Vieira, que dá nome ao local, disse que os moradores ficaram tristes pelo fato da comemoração dos 90 anos da instalação da Assembleia de Deus, no Paraná, em 2019, ter acontecido em Faxinal e não na pequena igreja. O morador não quis ser fotografado e nem que o seu nome fosse incluído nesse especial de Cruzmaltina. Clique aqui e veja mais fotos e curiosidades do município de Cruzmaltina.


Até estádio não era do município!



Em 2015, a pacata Tapira começou a conviver com uma polêmica. O Governo do Rio Grande do Sul descobriu que mais de 200 imóveis da cidade pertenciam ao estado gaúcho. Nos imóveis estão órgão públicos, casas e até o estádio. A prefeitura de Tapira recorreu para "desapropiar o estado de lá". Clique aqui para ver fotos e mais curiosidades sobre Tapira.


Visitamos a sede da empresa Gazin..



Douradina está localizada a 146 quilômetros de Campo Mourão e a 55 km de Porto Camargo, divisa com o Mato Grosso do Sul. Tem o 8º melhor salário do Paraná. É a 14ª economia do Estado. Essa situação econômica é graças a empresa Gazin. Clique aqui para conhecer Douradina e também um pouco sobre a empresa Gazin.


Pista oficial para "cavalo de pau"



Nova Prata do Iguaçu a 285 quilômetros de Campo Mourão tem Praia Municipal às margens do Rio Iguaçu. Hidrelétrica, criador de papagaios, e talvez seja a única cidade com uma pista exclusiva para que jovens façam "cavalos de pau" com seus automóveis. Clique aqui para ver fotos e mais curiosidades sobre Nova Prata do Iguaçu.


Curiosidades do "Nosso Paraná"



Se Campo Mourão tinha a metade de Fusca na fachada de uma empresa, na cidade de Apucarana o destaque é uma antigo veículo Rural. Clique aqui para saber mais e veja várias outras curiosidades e inovações que encontramos pelo nosso Estado


Rolândia: museu de cera dos Papas



Rolândia está localizada a 160 quilômetros de Campo Mourão. Mais uma cidade fundada pela “Companhia de Terras Norte do Paraná”. Clique aqui e veja mais fotos e curiosidades de Rolândia.


Moradores pagam impostos para SC



A cidade de Flor da Serra do Sul, está localizada a 384 quilômetros de Campo Mourão. Uma tradição no aniversário e o "Almoço com Peixe". Clique aqui para ver fotos e curiosidades de Flor da Serra do Sul.


Milagre que beatificou pastorinhos



Em 2017, Juranda ganhou o título de "Cidade do Milagre". O título faz referência a canonização dos Pastorinhos de Fátima: Francisco e Jacinta Marto. Os Pastorinhos se tornaram Santos, após análise do Vaticano sobre um milagre ocorrido com o menino Lucas, de 6 anos residente na cidade. Em 2013, ele brincava na casa da avó e caiu de uma janela. Teve perda de massa encefálica e ficou em coma na UTI. Os médicos informaram que caso se recuperasse o menino viveria em estado vegetativo. Clique aqui para ver mais imagens e curiosidades de Juranda.


A capital paranaense do rodeio



A cidade é referência no rodeio brasileiro, sendo a primeira (março) das cinco grandes Festas do Peão do calendário nacional. A arena onde são realizadas as competições conta com uma arquibancada com capacidade para 15 mil espectadores sentados, além de 40 camarotes e mais de 1.300 lugares nas cadeiras cativas. Veja aqui mais curiosidades sobre a cidade de Colorado.


A igreja é no formato de pomba



São Jorge do Ivaí é uma cidade localizada a 97 quilômetros de Campo Mourão (via Terra Boa). Tem 5 mil 551 habitantes, ocupando a posição 283 entre os 399 municípios do Paraná. Em econômia é o 33ª do Estado. A rede de esgoto está em 90 por cento da cidade. Veja aqui mais curiosidades sobre São Jorge do Ivaí.


Um ocal histórico do Paraná



O território onde surgiu a cidade foi visitado a mais de 400 anos com as expedições castelhanas e nas penetrações das bandeiras portuguesas. Por alí surgiu um reduto de índios batizados que viviam na redução de Nossa Senhora do Loreto. Esta redução foi fundada pelos padres jesuitas Mazete e Cstaldino. Veja aqui mais imagens e curiosidades de Itaguajé.


A capital do Urucum



A 150 quilômetros de Campo Mourão e 45 da divisa com o Estado de São Paulo está a cidade Paranacity. Tem 11 mil 131 habitantes. Veja aqui mais informações sobre Paranacity.


Só 524 pessoas moram na cidade l



É um dos municípios mais novos do Paraná. O primeiro prefeito foi eleito em 1996. Veja aqui mais informações sobre Marquinho.


Cidade com mais de 300 anos



A queda na produção do mate e a Segunda Guerra Mundial acabaram por deslocar o centro portuário do estado para Paranaguá e a cidade que vivia do porto e para o porto começou a declinar aos poucos. Entretanto, as belezas naturais transformaram a cidade em uma das mais visitadas do Brasil. Clique aqui para ver mais fotos e curiosidades de Antonina


Ex-prefeitos "caminham" pela praça



Ao passear pela principal praça de Ubiratã é possível conhecer todos os ex-prefeitos através das estátuas. Elas foram feitas em bronze e de tamanho real. A forma como estão colocadas, sugere que "eles" caminham pelo local. Abaixo de cada estátua uma placa identifica o prefeito e o período da administração. Clique aqui para ver mais fotos e curiosidades de Ubiratã


Tem concurso do "Rei do Sabugo"



Marilena, é uma cidade localizada a 232 quilômetros de Campo Mourão, e a 20 km de Rosana, na divisa com o Estado de São Paulo. Devido a localização é chamada de "tríplice fronteira" (São Paulo, Paraná e Mato Grosso do Sul). Veja aqui mais informações, fotos e curiosidades de Marilena.


A segunda cidade mais antiga do PR



Guaratuba, é o município do Paraná, mais distante de Campo Mourão. São 569 quilômetros para chegar até lá, e mais 1 quilômetro em ferryboat em trecho de mar. Veja aqui mais informações, fotos e curiosidades de Guaratuba.


Uma cidade country...



Iporã tem várias indústrias de confecções de moda "country". É chamada de cidade country, e tem até uma festa chamada Iporã Country Fest, em outubro, mês do aniversário. Clique aqui para ver fotos e informações exclusivas sobre Iporã.


"O que é bom, é de Maringá"



Sarandi, grudadinha com Maringá tem 95 mil 543 habitantes. Está na posição 22 entre as maiores cidades do Paraná. Ao contrário do que muitos pensam, Sarandi, nunca foi distrito de Maringá, mas sim de Marialva, do qual foi desmembrado em 1981. Os moradores de Sarandi relatam que se sentem desprestigiados. "Quando a coisa é boa, pertence a Maringá, quando não, é falam que é de Sarandi", comentou a funcionária de um pequeno restaurante. Clique aqui para ver fotos e informações exclusivas sobre Sarandi.


Postes indicam onde você está..



A cidade de Barracão é considerada como "tríplice fronteira". Para quem não é de lá, fica difícil saber se está em Dionísio Cerqueira (Santa Catarina), ou Bernardo de Irigoyen (Missões, Argentina). As ruas e avenidas são unidas entre as três cidades. É como se fosse uma só. Barracão está localizada a 383 quilômetros de Campo Mourão. Veja aqui nosso especial sobre Barracão.


A capital do peixe...



Nova Aurora está localizada a 120 quilômetros de Campo Mourão e a 63 km de Cascavel. Tem 11 mil 866 habitantes. Está na posição 160 entre os 399 do Paraná. Trinta e três por cento das famílias recebem meio salário mínimo por pessoa. O salário médio mensal é de 1.9 salários mínimos. Veja aqui nosso especial sobre Nova Aurora.


E tem Boeing na área rural !



Quem chega ou sai de Cascavel pela PR-485, saída para Tupãssi, vai encontrar um Boeing 737-200, da empresa áerea Vasp, fundada em 1933 e que por dívidas teve que encerrar as atividades em janeiro de 2005. O avião tem 30 metros de comprimento e 28 metros de envergadura e conta com todos os equipamentos, incluindo as turbinas. Está na área rural, ao lado de um aeroporto executivo (particular). Saiba aqui como o avião foi parar lá..

Veja aqui o nosso especial sobre Cascavel.


Praia, pesca e famosos



Porto Rico, a 214 quilômetros de Campo Mourão, no extremo noroeste do Estado, às margens do Rio Paraná, na divisa com o Mato Grosso do Sul, conta com apenas 2.561 habitantes. Não está entre os 230 mais ricos. Mas isso não é problema. É lá que o pessoal do dinheiro investe em compra de terrenos e imóveis de alto padrão.... Veja nosso especial sobre Porto Rico.

Um castelo em Maringá???



Parece, mas na verdade é o Mosteiro dos Araútos do Evangelho. A obra em fase final, lembra um castelo medieval. Na saída para Iguaraçu (com agendamento) é possível visitar o mosteiro dos Araútos do Evangelho. Veja outras curiosidades que encontramos pelo Paraná.


Cidade dos Dinossauros



Foi aprovado pelos deputados do Paraná, um projeto de lei que institui o título de “Cidade dos Dinossauros” para Cruzeiro do Oeste. Além do nome, o objetivo é conquistar recursos para a preservação e turismo. Cruzeiro do Oeste virou notícia mundial com a descoberta de fósseis do dinossauro Vespersaurus Paranaensis. Veja aqui o nosso especial sobre Cruzeiro do Oeste.


Como nos velhos tempos !!



Se você estiver em Japurá e pretende chegar a São Carlos do Ivaí, cuja distância é de 21 quilômetros, o melhor negócio é a balsa, ou então percorre cerca de 80 km. Em dia "corrido" passam por alí cerca de 40 veículos, a maioria caminhões de cana. No período da noite o valor para automóveis é 3 vezes mais caro que no dia, algo em torno dos 50 reais. Veja aqui outras imagens bem legais do Nosso Paraná.


Sucuri no lago???



Paraíso do Norte, região de Paranavaí, tem um belo Parque do Lago na entrada da cidade. É permitido pescar e até nadar. O pescador que aparece nesta foto diz que viu uma baita cobra sucuri. Um morador contou que é invenção dele, para que as crianças não fiquem gritando e nadando no local e atrapalhando a pescaria.. Veja aqui mais curiosidades que encontramos pelo NOSSO PARANÁ.


A Holanda do Paraná



A seis quilômetros da cidade de Castro (com asfalto), está localizada a comunidade rural de Castrolanda. Trata-se de uma colônia holandesa que começou a ser formada em 1951. Alí fundaram a cooperativa com o mesmo nome, uma das maiores do Brasil. Castrolanda ainda tem um belíssimo museu. Clique aqui para conhecer um pouco mais sobre a cidade de Castro e a chamativa comunidade rural de Castrolanda, com seu maravilhoso museu.


Belo zoológico em Cascavel



Conheça mais sobre Cascavel, a quinta maior cidade do Paraná. A Avenida Brasil, a principal da cidade é uma atração à parte. Cascavel: veja aqui a cidade e zoológico


Ela é muito competente...



Josete Cristina Basílio, era a responsável por muitas delícias em bolos e salgados do conhecido Restaurante Benedita, às margens da BR-277, em Irati (caminho para Curitiba). Ocorre que após muitos anos, Josete, recebeu "uma ótima proposta". Deixou o Restaurante. Agora ela é responsável pelo café da manhã do Hotel do Lago em Dois Vizinhos. Casada, tem 3 filhos, todos com curso superior. Veja aqui mais curiosidades que encontramos pelo NOSSO PARANÁ.


Bem vindo à terra da cuca !!



Em Mercedes, na divisa com o Paraguai, a população saboreia mais uma deliciosa cuca do que o tradicional pão frances. Mais informações e fotos sobre Mercedes


Universidade Adventista



Ivatuba tem menos de 3 mil habitantes, mas conta com uma das melhores universidades do Brasil... PARANÁ EM FOTOS


Entre Rios e o maravilhoso museu



Distrito de Guarapuava, Entre Rios se destaca por suas colônias, a Cooperativa Agrária, suas construções e o belíssimo museu. Vale a pena conferir... PARANÁ EM FOTOS

   

Paraná em fotos/Coluna do Ely
a



   

a



 

a



 

a



 

a



 

a



 

a



 

a

















































































 

 




Ribeirão do Pinhal: cidade já foi considerada a Rainha do Café



A cidade de Ribeirão do Pinhal está localizada a 306 quilômetros de Campo Mourão. Integra a microrregião de Cornélio Procópio. Pelo censo realizado em 2010, a população era de 13.524 habitantes, dos quais 2.446 residindo na área rural. Na estimativa de 2021, a quantidade de moradores caiu para 12.869.




Quase 60 por cento dos imóveis urbanos de Ribeirão do Pinhal estão ligados à rede coletora de esgoto. Em PIB per capita o município ocupa a posição 373 entre os 399 municípios do Paraná. A taxa de escolarização de crianças entre 6 a 14 anos é de 98,5.




Quem nasce ou mora em Ribeirão do Pinhal é denominado de "ribeiro-pinhalense". Até os anos 30, a localidade era habitada pelo índios Coroados. Com o surgimento das primeiras fazendas de café, os índios foram se afastando. A pequena comunidade ganhou o nome de Pinhal. Em pouco tempo a quantidade de moradores ultrapassou os povoados mais antigos existentes na região. Assim, em 1938, ganhou o estatus de distrito com a denominação de "Laranjinha". Em 1947, conseguiu se emancipar de Santo Antônio da Platina e passou a se chamar Ribeirão do Pinhal, nome do Rio que corta o município.




Nos anos 60 e começo dos anos 70, Ribeirão do Pinhal era um dos maiores produtores de café do Brasil. A geada negra de 1975, mudou o perfil agrícola. Embora ainda tenha 550 hectares com café, hoje a principal lavoura é a de soja com espaço de 15.300 hectares. O rebanho bovino é de 22 mil cabeças.




O aniversário de Ribeirão do Pinhal é comemorado no dia 10 de outubro. Os festejos incluem eventos de danças, shows, comemoração para as crianças com a distribuição de doces. Em setembro é realizado o Concurso Rainha do Município. Os principais eventos são realizados no Centro Cultural e no Clube de Campo.




Na área urbana, Ribeirão do Pinhal tem 4.700 imóveis residenciais. Possui 420 empresas comerciais e de prestação de serviços e 50 indústrias. Tem uma emissora de rádio. Conta com agência do Banco do Brasil, mas não possui Caixa Econômica Federal. Uma das principais empresas é a "Rações Pioneira". Instalada em 1983, produz rações e concentrados para bovinos, equinos, ovinos e suínos. Toda a produção é praticamente destinada ao Norte Pioneiro do Paraná.




O principal ponto de encontro da população é a praça "Erasmo Cordeiro Ribeiro". Tem como enfeite uma torre em forma de farol aos navegantes com 10 metros de altura. A praça conta com WI-FI e é possível saborear um delicioso pastel em uma das várias barraquinhas que ficam ao redor. O piso também é diferenciado. Geralmente as praças utilizam placas ou blocos de concreto antiderrapantes.




Desde 2012, o Hospital e Maternidade é administrado pelo grupo Nossa Senhora das Graças, das Irmãs Filhas da Caridade. É referência na realização do parto de risco. Presta atendimento ambulatorial, urgência e emergência, internações clínicas e cirúrgicas. Durante nossa visita havia uma polêmica em Ribeirão do Pinhal. O governo do estado acertava os últimos detalhes para a construção de uma penitenciária. Grande parte da população estava contra.




O Ginásio de Esportes "Marcionilio Reis", também conhecido por "Tigrão", é cercado por um jardim gramado e cheio de árvores. ao retor também foram instalados equipamentos para ginástica.




O estílo arquitetônico da igreja matriz é curioso. A torre está na parte de trás. Como o templo está bem acima do nível da rua, quem passa em frente não enxerga a torre. A igreja atrai fiéis de várias localidades porque também é Santuário do Divino Espírito Santo. Uma tradição religiosa na cidade é a Cavalgada de São Sebastião.


Rio Azul: cidade com mais de 100 anos que atrai turistas



Rio Azul é uma cidade com 103 anos (2021), localizada a 319 quilômetros de Campo Mourão e que integra a microrregião de Irati. Os primeiros moradores chegaram em 1885. A localidade foi batizada com nome de Roxo Roiz. A partir de 1902, o povoado foi beneficiado com uma estação de trem na linha que ligava São Paulo e Rio Grande do Sul. A estrada de ferro atraiu comerciantes e indústrias de erva-mate e serrarias. O desenvolvimento foi rápido.




Em 1913, foi elevado a categoria de distrito de São João do Triunfo. Em 1918, passou a município e o nome foi alterado para "Marumby". Só a partir de 1929, ganhou o nome de Rio Azul. A surpresa para os moradores surgiu em 1932, ano em que a autonomia foi cassada e o município voltou a ser distrito, pertencendo a Mallet. Após dois anos de muita "briga", a condição de independência foi restabelecida.




A estação de trem inaugurada no dia 22 de dezembro de 1902, foi desativada em 1996, e os trilhos retirados em 1998. Mas o prédio em alvenaria, construído em 1934, e que substituiu o primeiro que era em madeira, ainda está lá. Desde 2018, o prédio "azul" no centro da cidade é a estação rodoviária. Antes abrigou outros órgãos como o INCRA.




A antiga estação ferroviária, hoje rodoviária, faz parte da paisagem de uma das praças de Rio Azul. O local tem equipamentos para ginástica, pista de skate e brinquedos para as crianças.




A principal praça de Rio Azul é a Praça Tiradentes, também conhecida como "Praça da Igreja Matriz". Todo o calçamento é em paver, mas até 2019, era com pedras irregulares. O curioso é que a praça parece ter "vários espaços", pois em cada "canto" ela se diferencia. Essa diferença fica mais evidente porque a praça tem um grande desnível. Fica parecendo que tem um espaço para os jovens, outro para os mais antigos e outra para os mais modernos. Rio Azul também tem o Parque da Pedreira, localizado a 9 quilômetros do centro da cidade. É um ponto turístico com cachoeira, lanchonetes, ruínas de uma antiga hidrelétrica, trilha, mirante e a gruta de Nossa Senhora Aparecida. Infelizmente durante nossa visita o local estava fechado por causa da pandemia.




Rio Azul é cortada pela BR-153, a famosa rodovia Transbasiliana. Pelo censo realizado em 2010, o município estava com 14.093 habitantes, dos quais 9.081 residindo na área rural. Na estimativa realizada em 2021, a população cresceu para 15.433 moradores. Quem nasce ou mora no município é denominado de rio-azulense.




Uma das maiores empresas de Rio Azul é a Madeireira Rio Claro. Só o estacionamento para os funcionários tem cerca de 5 mil metros quadrados. As áreas administrativas e de produção ultrapassam os 50 mil metros quadrados. O Estádio Municipal está bem ao lado da empresa. Outra empresa é a unidade da multinacional em latícinios a Schereiber Foods, com sede nos Estados Unidos. Destaque também para a MK Pré Moldados.




Em PIB per capita, Rio Azul está na posição 83 do Paraná, e é o maior da região, superando inclusive Irati. O município conta com mais de 60 indústrias e cerca de 300 empresas comerciais e de prestação de serviços. Na área urbana são 2.400 imóveis residenciais. Outras 2.500 residências estão localizadas na área rural. A cidade tem Banco do Brasil, mas não possui agência da Caixa. É servida por uma emissora de rádio. O município é o maior produtor de tabaco (fumo) do Brasil.




Escola Municipal Vanda Hessel, é uma das mais antigas de Rio Azul e atende cerca de 600 alunos do ensino fundamental. No município a taxa de escolarização de crianças entre 6 a 14 anos é de 96,2 por cento. Metade da cidade é servida pela coleta de esgoto sanitário.




O aniversário de Rio Azul é comemorado no dia 14 de julho. Entre as atrações estão a EXPOAZUL, Festival de Música e Festival de Quadrilha. O município ainda promove a Festa da Padroeira Nossa Senhora Aparecida, Dia das Crianças. Outros eventos realizados no município são: Fest In Rio, Festa Natalina, Virada de Ano e até campeonato de corrida com carrinhos de rolimã. Na agricultura o maior espaço é com a soja que ocupa 18.200 ha. A segunda posição é para o fumo com 6.775 hectares. Na sequencia o milho com 5.000 ha e feijão em 3.114 hectares. A erva-mate é plantada em 500 ha. O rebanho bovino é de 6 mil cabeças.




A Igreja Ucraniana Santa Terezinha é um local de visitas para quem está na cidade. Em outubro acontece a tradicional festa com pratos típicos e tem o pastel que os moradores, consideram como "o melhor do Paraná". Para quem gosta de turismo religioso e de natureza, Rio Azul é uma ótima opção com cachoeiras, Morro do Cristo e a Capela Senhor Bom Jesus onde as paredes são decoradas com obras do artista Antônio Petreck. Outros locais de visitação são o Pico Marumbi e uma gruta. As atrações estão localizadas entre 7 a 10 quilômetros do centro da cidade. E em vários trechos é preciso caminhar alguns quilômetros.




A Paróquia Sagrado Coração de Jesus, pertence a Diocese de União da Vitória. A construção da atual igreja matriz começou em 1971 e a inauguração aconteceu em 1978.


Toledo: atualização. A cidade tecnológica do Biopark



É uma nova cidade??..Se levarmos em consideração que para ser uma cidade é preciso primeiramente que a localidade passe a ser distrito e depois se torne município, a resposta é "não". Mas se a gente esquecer estas regras e falar que o local é planejado para 75 mil habitantes e terá toda a infraestrutura que vai de shopping center, indústrias, hotel, faculdades, hospital e áreas residenciais, com certeza estamos diante de uma futura cidade.




O Biopark é um investimento que pela grandeza e finalidade é único no Brasil. Localizado a 15 quilômetros do centro de Toledo, às margens da PR-182, saída para Palotina, o empreendimento ocupa uma área de 5 milhões de metros quadrados. Ao visitar o Biopark tivemos a sensação de ver aqueles filmes antigos sobre a construção de Brasília. As obras estão por toda a parte. É uma cidade planejada sendo construída.




O Biopark não é um investimento público. A iniciativa partiu de vários empreendedores. O objetivo foi construir uma "cidade" e dentro dela um parque tecnológico. Além disso outra meta é que o espaço se torne um polo educacional com quatro universidades, incluindo as federais UFPR, UTFPR e IFPR. A UFPR já está em atividades. Também já atuam no local um Centro de Pesquisas com vários laboratórios. Os terrenos para as universidades e outras instituições são doados pelos investidores.




O Biopark de Toledo terá duas áreas residenciais com lotes a partir de 450 metros quadrados. Os prédios poderão contar com no máximo 8 pavimentos. Existem regras também para a construção de moradias como distância da calçada e dos imóveis vizinhos. As demais áreas são para o condomínio industrial, campus de startups, complexo hospitalar, faculdades, shopping center, hotel, área verde, equipamentos comunitários, área de proteção ambiental, comércio e serviços e área de expansão.




A iniciativa do Biopark é dos empresários fundadores da indústria farmacêutica Prati-Donaduzzi, que já está instalada no local com o seu centro de distribuição. Idealizado por Luiz Donaduzzi e a esposa Carmen, o Biopark pretende gerar 30 mil empregos e transformar a região de Toledo em um polo do setor de biociências. Inaugurada em 1995, a Prati Donaduzzi é a maior fabricante de medicamentos genéricos do País, com uma produção de 11 bilhões de doses por ano.




O Campus de Medicina da Universidade Federal do Paraná (IFPR), já está funcionando no Biopark. Ao lado ficará o complexo hospitar e de clíninas médicas, incluindo a UNIMED. A UTFPR (Universidade Tecnológica do Paraná), recebeu dos investidores a doação de uma área com 38 mil metros quadrados e também terá sua sede em Toledo transferida para o novo empreendimento. O local ganhará ainda outras duas universidades.




O retorno financeiro dos investidores virá através da comercialização dos lotes residenciais e comerciais. Mais de 100 empresas já investiram no local. A venda de casas e apartamentos será feita pelas organizações que compraram os terrenos com essa finalidade.




Todas as ruas e avenidas da futura "cidade" Biopark foram nominadas homenageando cientistas e pesquisadores como César Lates, Louis Pasteur, Max Planc, Marie Curie, Osvaldo Cruz e Thomas Edison. O empreedimento também pretende atuar na área de alimentos. Uma das empresas já instaladas no local é a marca Flor da Terra, que produz queijos finos.




O prédio da foto acima é o edifício "Charles Darwin". Neste prédio já estão funcionando mais de 100 empresas das quais 20 internacionais, incluindo várias incubadoras em desenvolvimento. É bom que se diga que o Biopark está localizado às margens da mesma rodovia onde fica o aeroporto de Toledo, cuja distância é de apenas 8 quilômetros.


Pinhal de São Bento: área urbana só tem 500 residências



A cidade de Pinhal de São Bento, integra a região de Francisdo Beltrão e está localizada a 323 quilômetros de Campo Mourão. Pelo censo do IBGE, realizado em 2010, o município tinha 2.625 habitantes, dos quais, mais da metade (1.459), morando na área rural. Na estimativa de 2021, a população cresceu para 2.742 moradores. A taxa de escolarização é de 99,6 por cento, uma das mais altas do Paraná. Em PIB per capita ocupa a posição 363 entre os 399 municípios paranaenses. Vinte por cento da cidade conta com rede de esgoto.




Nos anos 40, o território começou a ser ocupado com o surgimento de uma colônia agrícola. O nome Pinhal surgiu a partir da primeira denominação da localidade: Pinhal dos Rutes. Era uma comunidade religiosa que tinha como líder um curandeiro. A comunidade vivia de pesca, caça, ervas e algumas produções de subsistência e não vendiam seus produtos por dinheiro, era realizada a troca de mercadorias. Até 1990, foi distrito de Santo Antônio do Sudoeste, e elegeu o primeiro prefeito em 1992.




Quem nasce em Pinhal de São Bento é denominado de "pinhalense". O aniversário do município é comemorado no dia 10 de novembro. As festividades são marcadas pelo Festival de Música Sertaneja "Canta Pinhal". O festival é aberto a calouros de todo o Brasil. Outra atração é a Feira de Artesanato, shows e a Festa do Leitão Assado. Um dos esportes mais praticados é a bocha e tem até campeonato municipal da modalidade. Outro campeonato é o de futebol suíço.




Pinhal de São Bento não possui agências da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil.




A área urbana de Pinhal de São Bento tem apenas 500 imóveis residenciais. Outros 450 estão na área rural. A cidade conta com 46 empresas comerciais e de prestação de serviços e 8 indústrias. Entre as principais empresas está o Laticínios São Bento.




Na agricultura o município de Pinhal de São Bento tem 1.900 hectares com soja. Depois aparecem o milho com 950 hectares e trigo com 500 ha. Possui rebanho bovino estimado em 14 mil cabeças.




O nome da principal avenida da cidade é "Doutor Goves". Pinhal de São Bento não é daquele tipo de cidade em que você está na rodovia e passa por ela ou perto dela. No trecho entre Santo Antonio do Sudoeste e Ampére na PR-481, é preciso acessar uma estrada municipal à direita que é asfaltada e percorrer 13 quilômetros.




Pinhal de São Bento possui um estádio caprichado. Alias, a cidade é bem pequena, mas bem cuidada e bonita. A cooperativa que atua por lá é a Coagro, cuja sede é Capanema. Durante o período natalino as crianças se reunem no estádio para receber presentes.




No rito religioso católico, o município pertence a Diocese de Palmas/Francisco Beltrão, mas a localidade ainda não foi elevada à condição de Paróquia (2021). A capela São Roque integra a paróquia de Ampére.


Leópolis: nome em homenagem ao Léo, sócio da colonizadora



Leópolis é uma cidade localizada a 264 quilômetros de Campo Mourão e que integra a microrregião de Cornélio Procópio. Pela estimativa do IBGE, divulgada em 2021, o município está com 3.896 habitantes. No censo de 2010, tinha 4.145 moradores, dos quais 1.744 residindo na área rural. O letreiro na entrada da cidade foi instalado recentemente (06/2021). Turistas gostam de fazer "selfies" ou tirar fotos com amigos perto desses letreiros. E isso divulga o município.




Leópolis é uma das cidades mais arborizadas que já visitamos. Em PIB per capita, ocupa a posição 95 entre os 399 municipios do Paraná e a colocação 327 em habitantes. O índice de escolarização de crianças de 6 a 14 anos é de 98,8 por cento. Trinta por cento dos imóveis urbanos contam com a rede coletora de esgoto.




A rodoviária de Leópolis integra a Praça 14 de Dezembro, a principal da cidade. Na área urbana são 1.280 imóveis residenciais. O município tem 86 empresas comerciais e de prestação de serviços e 13 indústrias. Uma das empresas atua na produção de palmitos. Não possui agências da Caixa ou Banco do Brasil e nem emissora de rádio.




Quem nasce ou mora no município é denominado de "leopolense". A cidade começou a surgir no final dos anos 1920, através da Companhia Agrícola Barbosa. A empresa comprou do Governo uma grande área de terras para a formação de patrimônios. O nome é referente a Léo Barboza, sócio da Companhia. Até 1951, foi distrito de Cornélio Procópio. A grande riqueza do município é o plantio de soja com 22 mil hectares e milho 19 mil ha. O rebanho bovino é de 17 mil cabeças.




O aniversário de Leópolis é comemorado no dia 14 de dezembro. A festa se mistura com atrações natalinas. A cidade tem arena de shows e rodeios. É tradição as festas de Carnaval, Nossa Senhora Aparecida e São Sebastião. Não tem prato típico, mas tem a Feira da Lua que agrada a todos os paladares.




Um pedaço do território de Leópolis está na divisa com o Estado de São Paulo e integra a Bacia do Rio Paranapanema. Teve parte de suas terras alagada para construção de usina hidrelétrica. Muita gente vai ao município com o objetivo pescar ou praticar esportes náuticos nos rios Paranapanema e Congonhas.




Como dissemos acima, o nome "Leópolis" foi em homenagem a um dos sócios da colonizadora, mas na Ucrânia tem uma cidade com a mesma denominação fundada em 1.240, cuja população é de 740 mil habitantes. Não existe relação entre as duas cidades, foi mera coincidência.




Algumas curiosidades de Leópolis: a cidade realiza o festival gastronômico com os chamados Food Trucks. Os principais locais públicos possuem rede wi-fi de graça, mas é preciso fazer cadastro na prefeitura. Durante os períodos de férias escolares o município promove campeonatos esportivos.




A Paróquia Nossa Senhora Aparecida pertence a Diocese de Cornélio Procópio. Foi fundada em 1960.


Engenheiro Beltrão: atualização



Engenheiro Beltrão é uma cidade que integra a microrregião de Campo Mourão. Está localizada às margens da PR-317, que liga Campo Mourão (32 km) à Maringá (59 km). Pelo censo realizado em 2010, o município estava com 13.962 moradores, dos quais apenas 1.628 na área rural. Na estimativa de 2021, aparece com 13.962 habitantes. Em população ocupa a posição 134 entre os 399 municípios do Paraná. Em território é o 143º. O prato típico é "Leitão à Pururuca". A carne é desossada, assada na brasa por 6 horas e servida com tutu de feijão.




O município de Engenheiro Beltrão tem 5 distritos: Figueira do Oeste, Triângulo, Sertãozinho, Sussui e Ivailãndia. A cidade começou a surgiu nos anos 50, quando o engenheiro civil, Francisco Gutierrez Beltrão, comprou do Estado uma grande área de terras entre os Rios Ivaí e Mourão. Ele era proprietário da Colonizadora Engenheiro Beltrão Ltda, a mesma que deu origem ao cidade de Francisco Beltrão. Em 1951, Engenheiro Beltrão foi elevado à distrito e em 1954 à município. Inicialmente foi distrito de Campo Mourão e depois passou a pertencer a Peabiru. O nome é uma referência ao nome do proprietário da colonizadora. Quem nasce ou mora no município é denominado de "engenheiro-beltrense".




A principal avenida de Engenheiro Beltrão, é denomada "Sete de Setembro". Essa via de duas pistas tem cerca de 2 quilômetros e corta toda a cidade. A área urbana de Engenheiro Beltrão é bem arborizada. Apenas 20 por cento dos imóveis contam com a rede coletora de esgoto. A taxa de escolarização das crianças de 6 a 14 anos é de 98 por cento. Em PIB per capita está na posição 82 entre os 399 municípios do Paraná.




Outra extensa avenida de Engenheiro Beltrão é a "Zacarias de Goes". Tem 1 quilômetro e 300 metros. Essa chama a atenção pelas ciclovias de cada lado, pista de caminhada no canteiro central e iluminação totalmente em led.




Mas entre as vias de Engenheiro Beltrão, a mais extensa é a Avenida Ivaí. Com seus dois quilômetros em forma de arco, vai do trevo de acesso a cidade e corta áreas mais afastadas do centro e ao seu final cruza com as outras duas mais compridas. Na imagem acima um dos trechos da Avenida Ivaí.




Engenheiro Beltrão possui agências da Caixa Econômica Federal e também do Banco do Brasil. O município tem cerca de 4.700 imóveis residenciais na área urbana e outros 540 na zona rural. São 515 empresas comerciais e de prestação de serviços e outras 100 consideradas como do setor industrial. Entre as empresas da cidade estão a Coamo Agroindustrial, Mariatt Água Mineral, Damásio Móveis Rústicos, indústria de piscinas e a MS CABINES que produz cabines para máquinas rodoviárias, agrícolas, florestais, e projetos especiais. Por muitos anos, o município contou com a grande Sabaralcool, que foi desativada. A cidade tem uma emissora de rádio em FM. A principal riqueza do município está na agricultura. São 33 mil hectares de soja. O milho é plantado em 31 mil hectares. O rebanho bovino é estimado em 5 mil cabeças.




Em 2014, a rodovia que corta a cidade foi duplicada. E a exemplo do que ocorreu em Tuneiras do Oeste com o asfaltamento da BR-487 (Boiadeira), vários comerciantes reclamaram que as obras de viadutos e trincheiras fizeram cair as vendas, pois dificultou o acesso dos viajantes à cidade. "Agora eles passam direto por baixo da cidade", comentou um deles. O sistema de trincheira se faz necessário para garantir a segurança, isso em razão de que área urbana de Engenheiro Beltrão é cortada pela pista e os moradores se deslocam de um lado ao outro.




O aniversário de Engenheiro Beltrão é comemorado no dia 26 de novembro. A prefeitura promove eventos especiais como shows ao vivo, rodeio, concursos e a Expobeltrão, oportunidade em que é servido o prato típico Leitão à Pururuca. Ainda na área turística, Engenheiro Beltrão tem o "Parque da Gruta", com pista de caminhada, pequeno lago, ponte, santuário, museu e academia da terceira idade, mas as pessoas criticam a conservação do local.




Country Club de Engenheiro Beltrão. Foi inaugurado em 1973. Engenheiro Beltrão teve um time muito conhecidona região. Foi a AEREB (Associação Esportiva Recreativa Engenheiro Beltrão. Disputava as partidas no Estádio João Cavalcante de Menezes. Em janeiro de 2003, foi campeão da Taça Paraná de Amadores. Em 2004, o time virou profissional e disputou a segunda divisão estadual e também ficou com o título, mas atualmente está licendo junto a federação.




O Polo de Apoio Presencial de Engenheiro Beltrão foi inaugurado em 2008 e iniciou com os cursos de graduação em Pedagogia. Hoje oferece cursos de graduação em Administração Pública, História, Pedagogia e ainda o Curso de Especialização em Ensino de Filosofia no Ensino Médio, pela UEPG. Os polos de apoio presencial são unidades mantidas por Municípios ou Governos de Estado, para que os estudantes possam acompanhar os cursos a distância.




O Fórum da comarca de Engenheiro Beltrão, tem um design "clean", mas é imponente. O projeto é de autoria do arquiteto curitibano Alessandro Botega, e foi inaugurado em junho de 2014. Na área da saúde a cidade é atendida pela Santa Casa de Misericórdia.




A Paróquia Nossa Senhora das Graças integra a Diocese de Campo Mourão. O templo foi concluído em 1965. Na igreja está enterrada uma "capsula do tempo" com fotografias e documentos, que só poderá ser aberta em 2062, na comemoração dos 100 anos de instalação da paróquia.




Calçadão em frente à Igreja Matriz de Engenheiro Beltrão.


Goioxim: soja lidera, mas tem diversificação agrícola



Em linha reta, Goioxim está localizada a 133 quilômetros de Campo Mourão. Mas por asfalto, a única opção é via Guarapuava, e o trecho é de 275 quilômetros. Para encurtar a viagem (199 km), é preciso passar por vários trechos de terra (Roncador, Palmital, Marquinho). São quase 100 quilômetros sem asfalto. E mesmo passando por Guarapuava, a rodovia com destino à cidade (a partir da BR-373), é como se fosse meia pista com asfalto. "Ficou faltando um lado". São 40 quilômetros em meia pista, "negociando", espaço com carretas e caminhões que trafegam no sentido contrário.




Quem nasce ou mora em Goioxim é denominado de "goioxienhense". Até o começo dos anos 1900, a região era habitada por índios caigangues. Foram eles que deram o nome para a localidade: Goio (rio) e Xim (pequeno). O núcleo habitacional formado a partir de 1923, era conhecido como Lagoa Seca. Em 1934 passou a ser chamado de Juquiá. Em 1943, adotou o nome Goioxim. Até 1995 foi distrito de Cantagalo. O primeiro prefeito foi eleito em 1996 e tomou posse em 1997.




Ao redor da cidade existem muitas árvores.




Em sua parte urbana, Goioxim é pouco arborizada. No censo realizado em 2010, o município estava com 7.503 habitantes e na estivativa de 2021, caiu para 6.997. A taxa de escolarização de crianças de 6 a 14 anos é de 98 por cento. Em PIB per capita ocupa a posição 250 entre os 399 municípios do Paraná. A cidade possui 9 por cento dos imóveis com rede coletora de esgoto




O município tem 1.200 imóveis na área urbana e outros 1.200 na zona rural. Pouco mais de 100 empresas comerciais e de prestação de serviços e 6 indústrias atuam no município. A cidade não conta com agências do Banco do Brasil ou Caixa Econômica Federal. As empresas industriais estão ligadas ao ramo de laticínios e madeira.




A maior riqueza de Goioxim é a a produção de soja. São 21 mil hectares. O trigo ocupa 3.400 hectares e o milho é plantado em 3.110. Existe também diversificação agrícola. O feijão está presente em 2.200 ha. Quase 200 hectares são dedicados ao fumo. Vários hectares com melancia, cebola, batata, arroz, mandioca, cevada, aveia, erva-mate, laranja entre outros.




O trem passa pertinho da área urbana de Goioxim. Quem mora na cidade escuta o apito. Trata-se da linha férrea ligando Cascavel à Guarapuava, fazendo conexão com o Porto de Paranaguá. O traçado também corta os municípios de Candói, Cantagalo, Marquinho, Laranjeiras do Sul, Nova Laranjeiras, Guaraniaçu, Ibema e Campo Bonito. É mais conhecida por Ferroeste. A grande reivindicação de Goioxim é uma ligação asfáltica (34 quilômetros) com o município de Marquinho. A obra encurtaria a distância com as cidades do Oeste, Noroeste e Norte do Paraná.




A Prefeitura e Câmara dos Vereadores de Goioxim estão localizadas no mesmo prédio. O aniversário do município é comemorado no dia 30 de outubro. A principal atração é o tradicional rodeio. Parte das festividades acontecem no salão paroquial da igreja matriz.




Na única praça de Goioxim, destaque para a imagem do Cristo Redentor. A história e a vida de Goioxim é relatada em livros da professora Paulina Bocalon. Ela chegou à localidade em 1975.




A Paróquia São Sebastião de Goioxim pertence a Diocese de Guarapuava. Foi fundada no dia 12 de março de 2007.


Jesuítas: atualização (fotos de 2019 e 2021)



A cidade de Jesuítas está localizada a 128 quilômetros de Campo Mourão, via Goioerê. Pertence a microrregião de Toledo. Pelo censo realizado em 2010, o município estava com 9.001 habitantes, dos quais 2.931 na área rural. Na estimativa feita em 2021, caiu para 8.251 moradores. Quem nasce ou mora na localidade é denominado de "jesuitense".




Jesuítas começou a surgir no final dos anos 50. Os primeiros moradores foram atraídos pela madeira. Também se destacou no plantio de café. Até 1962, foi distrito de Formosa do Oeste. A Lei de emancipação é de 1980, e o primeiro prefeito foi eleito em 1982. O nome é uma homenagem aos padres jesuítas espanhóis. A partir do final do século 19, os padres iniciaram no Paraná, um trabalho de catequização envolvendo mais de cem mil índios. Os jesuítas eram membros da Companhia de Jesus, ordem religiosa fundada por Inácio de Loyola (1491-1556).




Jesuítas é uma cidade bem arborizada. A taxa de escolarização de crianças entre 6 a 14 anos é de 98 por cento. Em PIB per capita ocupa a posição 79. Vinte por cento da cidade conta com rede coletora de esgoto. A principal riqueza do município está na cultura da soja (13.740) e na produção de frangos. A cidade conta com indústria de rações da Copacol. Vários agricultores também plantam café. O município tem um viveiro com mudas de alto padrão.




Jesuítas conta com cerca de 3.100 imóveis residenciais na área urbana e outros 800 na zona rural. O município possui 300 empresas comerciais e de prestação de serviços e 50 indústrias. Tem Banco do Brasil, mas a cidade não é atendida pela Caixa Econômica Federal. Possui uma emissora de rádio.




No cruzamento das Avenidas Anchieta (principal) e Santo Inácio (da igreja matriz), tem a chamada "Pracinha da Rotatória". É um dos pontos de encontro da população. Uma curiosiade é que quase todas ruas e avenidas têm nomes de Papas, santos e padres. A cidade adota o sistema em que algumas ruas são de mão única.




Jesuítas é um dos poucos municípios brasileiros com Museu do Rádio. Tudo começou em 2015, com a morte de José Costa, fundador da Rádio Vale Verde FM. A esposa decidiu criar um espaço para abrigar as centenas de peças que compõem a coleção de equipamentos e gravações que estavam em casa. Em novembro de 2017, Helena Miuara inaugurava o Museu do Rádio José Costa, no mesmo terreno da emissora. Com mais de 500 peças, o acervo aumenta a cada semana com doações oriundas de proprietários de rádios de todo o Brasil.




O aniversário de Jesuítas é comemorado no dia 13 de maio. Geralmente as festividades acontecem ao ar livre no centro da cidade e também no salão da igreja matriz, e incluem shows, bolo e o prato típico "Leitão na Grelha", além de Missa em Ação de Graças.




O setor cultural de Jesuítas é bem diversificado. Mais de 400 alunos estão matriculados na Casa da Cultura. São oferecidas aulas de bateria, dança, desenho artístico, ginástica rítmica, judô, capoeira, teclado, violão, musicalização infantil e o coral. O Coral Infanto Juvenil também ensaia coreografias para cada canção, o que permite apresentações especiais. No município a Copacol apoia um Festival de Cultura e Arte. Em setembro a Associação Comercial promove o concurso "Garota do Comércio". Em outubro ou novembro é realizado o Festival de Música.




O Estádio Municipal José Ermelindo Ranucci, mais conhecido por "Zicão", é de dar inveja às cidades bem maiores. O sistema de iluminação foi instalado recentemente com apoio da Itaipú Bi-Nacional.




O Ginásio de Esportes "São Silvestre" é palco das mais variadas competições. A equipe local de futsal é considerada uma das melhores da região Oeste do Paraná, e a prefeitura promove um campeonato municipal da categoria. O volei feminino e atletismo são outros destaques do município.




A maior parte das viagens a partir da rodoviária de Jesuítas é para Toledo, Cascavel e Curitiba. Jesuítas possui um hospital público administrado pela Associação Beneficente de Saúde




A Paróquia Santo Inácio de Loyola pertence a Diocese de Toledo. Ao lado e aos fundos tem um pequeno bosque. A Paróquia foi criada em julho de 1966.


Mallet: a capital paranaense do Kiwi



A cidade de Mallet, pertence a microrregião de Irati e está localizada a 366 quilômetros de Campo Mourão. Pelo Censo de 2010, tinha 12.973 habitantes, dos quais 5.403 residindo na área rural. Na estimativa de 2021, a população cresceu para 13.697 moradores. Quem nasce ou mora na localidade é denominado de malletense.




Não estranhe se estiver na cidade é perceber que várias pessoas conversam em polonês ou ucraniano. Mallet surgiu das expedições realizadas a partir da segunda metade do século 19, e que foram responsáveis pela criação de várias colônias na região. Em1890, chegaram os primeiros imigrantes poloneses e logo depois centenas de ucranianos passaram a fazer parte das comunidades. Eles construíram escolas e igrejas. A fonte de renda e o sustento eram provenientes da própria terra.




Em 1903, chegaram os trilhos da estrada de ferro da RFFSA. Com a estação denominada "Marechal Mallet", muitas famílias optaram por ficar perto da "ferroviária", e formou-se o povoado de "São Pedro de Mallet". O nome da estação é uma homenagem ao engenheiro militar gaúcho, João Nepomuceno de Medeiros Mallet. A ferrovia atraiu mais pessoas e foram formados outros povoados como Dorizon e Vera Guarani.




Em 15 de abril de 1912, foi criado o Município de São Pedro de Mallet, desmembrando de São Mateus do Sul. Em 1929, uma lei estadual definiu o nome do município apenas como "Mallet". A Comarca foi criada em 1943.




A média salárial em Mallet é de 2,5 salários mínimos mensais. Está entre os 20 melhores do Paraná. A taxa de escolarização de crianças entre 6 e 14 anos é de 98,5 por cento. Em PIB per capita ocupa a posição 31, entre os 399 municípios paranaenses. Vinte e três por cento dos imóveis urbanos é beneficiado com rede de esgoto. As vias públicas urbanas são pouco arborizadas.




Os registros mostram que Mallet tem cerca de 350 empresas comerciais e de prestação de serviços e 90 firmas industriais. A maior parte das indústrias é ligada ao setor de madeira e celulose. A principal atividade agrícola do município é o plantio de soja (17 mil ha), milho (3.200 ha) e feijão (1.700 ha). Destaque também para a produção de frutas, legumes e erva-mate. O rebanho bovino é de 5 mil cabeças.




Na área urbana, Mallet tem aproximadamente 3.500 imóveis residenciais. Na área rural são quase 1.600. A cidade é atendida pelo Banco do Brasil. Não tem Caixa Econômica Federal. Possui duas emissoras de rádio.




O Fórum da Comarca de Mallet é praticamente novo, foi inaugurado no dia 19 de janeiro de 2017. Tem cerca de 2 mil metros quadrados. O antigo prédio tinha 70 anos.




Em Mallet, o Parque dos Imigrantes é a principal área de lazer. Para contornar o local é preciso percorrer dois quilômetros. Está localizado na área central, a 200 metros da Igreja Matriz e da Prefeitura. A estação rodoviária é bem em frente. Considerado ponto turístico, é um dos maiores parques urbanos do interior do Paraná. Foi inaugurado em 1998.




O parque possui dois lagos, academias ao ar livre, academia de saúde, quadras de futebol e volei de areia, espaço para apresentações artísticas, ponte de madeira, parquinho para as crianças, pista de skate, pista de caminhada com iluminação, entre outros atrativos.






O Parque dos Imigrantes é onde acontecem as festividades do município, incluindo aniversário, Natal e virada do ano. Também no local, a prefeitura promove o tradicional Festival da Gastronomia e os Jogos de Verão.




Pelo fato de estar localizado na área central, os moradores consideram o lugar seguro. Além disso, em frente, tem um módulo da Polícia Militar. O espaço também é palco de apresentações de danças ucranianas. Em 2019, a cidade sediou pela terceira vez o Festival Nacional.




Município de Mallet foi colonizado principalmente por imigrantes ucranianos e poloneses. O Parque dos Imigrantes faz essa referência com os eventos culturais, religiosos e na gastronomia. Quem quiser se aprofundar mais na cultura e história do município, existe o “Circuito Polonês Ucraniano de Turismo Rural”.




Aos sábados pela manhã, também no Parque dos Imigrantes, acontece a Feira dos Produtores Familiares. A variedade é grande. Um dos feirantes tinha conservas de maxixe e broto de bambu. Outro oferecia geléia de Kiwi, conserva de abobrinha e o puríssimo mel.




O aniversário de Mallet é comemorado no dia 21 de setembro. Em 2021, completou 109 anos. O antigo prédio da prefeitura é de 1922, ou seja, cerca de 100 anos. Observamos que o local precisa de muitas reformas. (2021). Em maio é realizada a famosa Festa do Kiwi. Acontece no final de semana em espaços diversificados. A festa atrai muita gente principalmente por causa do costelão de fogo de chão, rodeio e os bailes. Mallet é considerada a Capital do Kiwi no Paraná.




Mallet tem sua edição municipal dos Jogos Abertos. Conhecidos pela sigla "JAM", as competições são disputadas nas modalidades de atletismo, basquete, vôlei, futsal, cabo de guerra, caçador, handebol, xadrez e mini maratona. A competição tem dez dias. Também no município acontecem campeonatos de futsal, futebol de campo, Jogos de Inverno entre outros.




A rodoviária é bem no centro. Mallet já teve linha ferroviária de passageiros e transporte de carga. A estação começou a funcionar em 1903, e era caminho da linha de ferro Itararé ao Uruguai. Foi desativada no começo dos anos 80. A estação que sempre foi de madeira acabou demolida em 1993. Os trilhos foram retirados em 1996.




A igreja Ucraniana Sagrado Coração de Jesus, centro de Mallet, foi elevada à condição de paróquia em dezembro de 1941. A construção da igreja atual começou em 1931, e concluida em 1967. Recentemente foi ampliada.




Na comunidade rural conhecida como Dorizon, a Igreja São José, também do rito ucraniano, se destaca pelo campanário dos três sinos que é considerado o maior do Paraná.




A Paróquia São Pedro Apóstolo, pertence a Diocese de União da Vitória. O templo começou a ser construído em 1949. Uma das opções de lazer e hospedagem é o Hotel Fazenda Hidromineral Dorizon, localizado na saída para União da Vitória.




 

a
--------------------